Três cervejarias imperdíveis na busca pela sour perfeita

A Califórnia tem sol, mar, praias lindas e cervejas incríveis. É o berço da revolução da cerveja artesanal nos Estados Unidos e o estado que concentra o maior número de cervejarias. São 844 cervejarias, microcervejarias, brewpubs, barrel houses e blenderies dedicadas a cerveja artesanal.

Sendo bem feita, gosto de qualquer estilo de cerveja. Entretanto, no último ano, peguei um gosto danado por cervejas ácidas. Na verdade, sempre gostei delas, mas a falta de opções no mercado nacional me fazia consumí-las com muito menos frequência do que gostaria.

Quando decidimos que visitaríamos a Califórnia em outubro de 2016, resolvi que além das cervejarias clássicas, iria dedicar um tempo às ácidas. Não me arrependo, por exemplo, de não ter conseguido visitar Lagunitas, Green Flash, Speakeasy, Anchor e Sierra Nevada. Abri mão de cervejarias tradicionais para conhecer mais a fundo as cervejas ácidas.

Meu tempo era curto e precisava ter foco. A parte cervejeira da viagem iniciou em San Diego e terminou em San Francisco. Como o roteiro foi compartilhado (incluía um festival de música, uma ida a Vegas e também uma viagem de moto), precisei definir quantos dias dedicaria a cerveja e fazer o máximo que pude em cada um deles. Foram quatro dias visitando AleSmith, The Lost Abbey, Ballast Point, Stone Brewing, The Bruery, Bruery Terreux, Barrelworks, The Rare Barrel e Russian River. Abaixo listo as minhas três escolhas ácidas da viagem:

Bruery Terreux

É uma boutique de cerveja artesanal localizada em Orange County, especializada em cervejas do estilo farmhouse, selvagens e ácidas. A cervejaria é rústica, tradicional, familiar e ainda assim inovativa e independente.

O barrel room que abriga 2 mil barris e o tasting room foram inaugurados no ano passado. O mosto é produzido na The Bruery, co-irmã famosa dedicada a cervejas envelhecidas em barril e ales experimentais, e transportado até a Terreux (distante 8 min de carro) onde recebe brettanomyces, bactérias e frutas e descansa de 6 a 18 meses em barris de carvalho francês.

Na Terreux, são 30 opções de cervejas ácidas e selvagens envelhecidas de 6 a 18 meses em barris de carvalho francês

No tasting room, você pode – e deve! – degustar as 30 opções de cervejas ácidas e selvagens. Há doses de degustação a U$4 doláres e vale conferir o que está disponível no tap pelo site. O espaço não conta com restaurante, logo, sugiro rechear bem o estômago para aguentar as horas de degustação. Eventualmente food trucks estacionam em frente ao espaço, mas não são regulares. Da pra aproveitar a loja para trazer presentes para os amigos cervejeiros. Tem garrafas (todas de 750ml), sacolas, abridores, taças, camisetas e mais.

Informações sobre horários, cervejas e food trucks, aqui

Barrelworks

Ótimas opções de cervejas ácidas e envelhecidas em barril com atendimento de primeira.

Assim como a Bruery Terreux, a Barrelworks é a irmã ácida e selvagem da Firestone Walker, uma das 20 maiores cervejarias artesanais dos Estados Unidos. O espaço que eles construíram em Buellton, conta com um bom restaurante e todas as cervejas regulares e algumas sazonais da Firestone Walker. Numa sala anexa, ficam os taps da Barrelworks mais os de outras ales envelhecidas em barril, com vista para a enorme barrel room com capacidade para 3 mil barris.  O atendimento é excelente, os funcionários são muito cordiais e entendem tudo sobre as cervejas disponíveis. Como toda boa cervejaria norte-americana, tem lojinha com uma infinidade de itens e mais duas geladeiras repletas de garrafas de edições especiais, regulares e sazonais para abastecer sua mala na volta pra casa.

Para saber mais, clique aqui

The Rare Barrel

Eu tenho um caso de amor com a The Rare Barrel desde abril de 2016, quando provei uma cerveja deles pela primera vez. Quando programamos essa viagem coloquei uma visita a cervejaria como uma das minhas metas e não me arrependi em nada.

É nesse galpão na área industrial de Berkeley que a magia acontece

Localizada em Berkeley, a uma hora de carro de San Francisco, o espaço conta com um barrel room, blendery e tap room. Dito isso, explico que todo o mosto utilizado na criação das cervejas é produzido em cervejarias parceiras. Na The Rare Barrel, ele é colocado em fermentadores de inox onde recebe a Saccharomyces. Depois da fermentação primária, a cerveja vai para os barris de madeira onde recebe cepas de brettanomyces e bactérias, além de frutas, flores e ervas, que realizam a outra fermentação por pelo menos 1 ano. A cerveja lançada é o resultado da mistura das cervejas que estavam nos barris. São cervejas complexas, aromáticas, intensas, únicas e deliciosas. Das melhores que experimentei. Aliás, foi ali que experimentei a Ensorcelled, uma sour escura envelhecida em barris com framboesa e adição de uma cepa de levedura selvagem e uma de bactéria. Fabulosa! Mais informações sobre a cerveja aqui.

Dose mínima é de 5 oz ou aproximadamente 150 ml

O tap room é espaçoso, permeado pelos barris. Não servem doses de degustação (mínimo 0.5oz, aproximadamente 150ml) e a única opção de comida é queijo quente de cheddar curado. Como a cervejaria produz apenas cervejas ácidas envelhecidas em barril, parte dos taps são para cervejarias convidadas onde é possível degustar outros estilos. No meu caso, isso veio a calhar, já que meus parceiros de viagem não são fãs de sours. É possível levar garrafas de 750ml com preços que variam de U$ 18 a U$ 28 dólares e mais uma infinidade de lembranças na lojinha.

Mais informações aqui

Espero que vocês tenham gostado das dicas.

Se já visitou ou pretende visitar esses lugares, conta pra mim o que achou!